Tribunal de Mianmar rejeita apelo final de líder opositora presa

Aung San Suu Kiy teria de ser libertada no sábado, mas advogado ainda não sabe se junta militar concordará em soltá-la

iG São Paulo |

A principal corte de Mianmar rejeitou um apelo final da líder oposicionista Aung San Suu Kiy, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz, contra sua prisão domiciliar, disse o advogado dela nesta quinta-feira.

A decisão da Corte Suprema era esperada e tem pouca influência sobre a prisão domiciliar de Suu Kyi, marcada para terminar no sábado, de acordo com a sentença imposta a ela no ano passado por violação de uma lei de segurança. Ela ficou presa durante 15 dos últimos 21 anos.

"O apelo especial à Corte Suprema era o último recurso", disse o advogado Nyan Win, que também é porta-voz da Liga Nacional pela Democracia, o grupo político de Suu Kiy, oficialmente dissolvido este ano, após decidir não disputar as eleições. "No entanto, ainda acredito que ela será libertada no sábado, quando termina sua prisão domiciliar, ou antes", acrescentou.

Mas o advogado disse não ter recebido nenhuma informação prévia sobre se a junta militar iria concordar em libertar a líder pró-democracia, que está com 65 anos e liderou a Liga em uma vitória esmagadora na última eleição, em 1990, resultado que foi ignorado pelos militares.

Suu Kyi expressou oposição à eleição parlamentar realizada no domingo passado e vencida facilmente, como previsto, por um partido criado pelos militares. Ela pediu a seus seguidores que denunciassem a fraude eleitoral.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: mianmareleiçãoAung San Suu Kiybirmaneses

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG