Tribunal chinês condena à morte autores de atentado que matou 16 policiais

Pequim, 17 dez (EFE).- Um tribunal da região autônoma chinesa de Xinjiang condenou hoje à morte dois homens considerados culpados por matar 16 policiais e ferir o mesmo número em um ataque cometido em 4 de agosto, às vésperas dos Jogos Olímpicos, confirmou o Tribunal Popular Supremo.

EFE |

Kurbanjan Hemit, de 28 anos, e Abdurahman Azat, de 33 anos, foram condenados por homicídio proposital e pela fabricação ilegal de armas, munição e explosivos, segundo o tribunal citado pela agência oficial de notícias "Xinhua".

A sentença do tribunal de Xinjiang afirma que os condenados cometeram o ataque contra o posto alfandegário com explosivos de fabricação caseira para sabotar os Jogos Olímpicos de Pequim, que começavam quatro dias depois.

Segundo as informações que surgiram naquele momento, os dois homens atacaram com um caminhão um grupo de policiais que fazia exercícios na cidade de Kashgar, ao oeste da região habitada pela etnia muçulmana uigur e perto da fronteira com Paquistão e Afeganistão.

Após passar com o veículo por cima de um alambrado metálico, desceram do caminhão armados com facas e começaram a lançar explosivos contra os barracões onde estavam os policiais.

Quatorze agentes morreram no ato e outros dois quando eram levados para o hospital.

A China acusou os grupos independentistas uigur pelo atentado, mas os membros dessa etnia no exílio condenaram o ataque, que não foi reivindicado por nenhum grupo terrorista. EFE trr/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG