Dois homens foram condenados à prisão por saques em Manchester. Menino de 11 anos também foi julgado em Highbury

selo

Um tribunal da Grã-Bretanha divulgou nesta quarta-feira as primeiras sentenças para acusados de participar da onda de distúrbios ocorrida nos últimos dias no país.

Dois homens - um de 38 e outro de 18 - foram condenados à prisão por um período entre dez e 16 semanas, pela participação nos saques em Manchester (norte). A polícia local se referiu às sentenças como "as primeiras de muitas que estão por vir".

Polícia prende homem em Eltham, região ao sul de Londres, nesta quarta-feira
Reuters
Polícia prende homem em Eltham, região ao sul de Londres, nesta quarta-feira

Centenas de pessoas foram presas em todo o país. Alguns tribunais estão fazendo plantão noturno para lidar com o grande número de suspeitos - em sua maioria, acusados de saques em lojas ou furto de residências.

Uma das pessoas que sentaram no banco dos réus de um tribunal da capital britânica, em Highbury, foi um menino de apenas 11 anos. Detido nessa terça-feira, ele passou a noite na prisão.

De acordo com a promotoria, ele estava entre os saqueadores que destruíram lojas em Londres algumas noites atrás. Ele se declarou culpado por ter roubado um cesto de lixo de uma loja de departamentos no bairro de Romford, e será julgado por um tribunal para menores no fim deste mês. Até lá, ele recebeu a ordem de obedecer diariamente a um toque de recolher das 18h às 6h do dia seguinte.

Facebook

De acordo com a Polícia Metropolitana de Londres (também conhecida como Scotland Yard), 805 suspeitos estão presos na capital, que teve poucos incidentes durante a quarta-feira. Em Liverpool (noroeste), 25 pessoas - com idades entre 15 e 42 anos - já foram julgadas.

Em Wakefield, no centro do país, uma mulher de 20 anos foi acusada de convocar um protesto na cidade por meio do site de relacionamentos Facebook.

Em Birmingham, segunda cidade mais populosa da Inglaterra, uma vigília foi organizada no início da noite, para homenagear três homens que foram mortos durante os tumultos. Eles foram atropelados enquanto faziam uma patrulha durante a onda de saques. Mais de 200 pessoas compareceram ao ato pacífico.

'Contra-ataque'

No início do dia, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse que o "contra-ataque" já estava em andamento. "Grandes operações policiais estão acontecendo neste momento para prender criminosos que não foram detidos na noite passada, mas que apareceram em câmeras de circuito fechado de televisão", disse o premiê.

"Imagem por imagem, esses criminosos estão sendo identificados e presos e não vamos deixar nenhuma preocupação fajuta com direitos humanos impedir a publicação dessas imagens e as prisões desses indivíduos", afirmou Cameron.

A onda de violência começou após um protesto pela morte de Mark Duggan, 29 anos. Duggan foi morto por policiais na quinta-feira (04), em Tottenham, no norte de Londres, depois de ser abordado em um táxi por uma unidade que investiga crimes com armas de fogo no bairro. A morte levou a revoltas que explodiram no último sábado em Tottenham se espalharam para outras regiões da capital britânica na noite de domingo, que foi marcada por saques e violência em vários pontos de Londres.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.