O ex-presidente francês alegou ser incapaz de participar das audiências, pois uma doença o impede de lembrar fatos do passado

Segundo especialistas, Chirac sofre de uma doença neurodegenerativa da família do Alzheimer
AFP
Segundo especialistas, Chirac sofre de uma doença neurodegenerativa da família do Alzheimer
O Tribunal Correcional de Paris autorizou que o ex-presidente francês Jacques Chirac seja julgado mesmo ausente no processo por mau uso de recursos públicos que teve início nesta segunda-feira.

Chirac, 78 anos, é acusado de desviar dinheiro público para financiar seu partido político por meio de funcionários fantasmas na prefeitura de Paris, enquanto ele foi prefeito entre 1977 e 1995 - ano em que foi eleito chefe de Estado.

O ex-presidente não estará presente na audiência processual que inicia o julgamento, e ficou a cargo do juiz Dominique Pauthe examinar uma avaliação médica que o considerou mentalmente incapaz de ser questionado sobre eventos do passado. Segundo especialistas, Chirac sofre de anosognosia, uma doença neurodegenerativa da família do Alzheimer.

Na carta enviada ao juiz na sexta-feira junto ao atestado médico, Chirac pedia para ser representado por seus advogados no processo, que deve prosseguir até 23 de setembro, pois "não tem mais plena capacidade" para participar nas audiências.

Chirac foi um dos presidentes que ficou mais tempo no poder e é bem visto por todo o país. A esposa dele, Bernadette, disse há algum tempo que o marido sofria de problemas de memória que poderiam estar ligados a um pequeno derrame que ele sofreu muitos anos atrás.

* Com AFP e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.