Rabat, 18 set (EFE).- O tribunal de Apelação da cidade marroquina de Agadir anulou hoje o processo contra Mohammed Rayi, condenado no último dia 8 pelo tribunal de Primeira Instância da cidade a dois anos de prisão por humilhar a pessoa do rei.

O tribunal aceitou as alegações por defeito de forma - o julgamento foi tramitado em quatro dias, período muito curto, e a sentença foi anunciada imediatamente - apresentadas pelos advogados de Rayi, disseram à Agência Efe fontes próximas à corte.

Rayi foi condenado por publicar em seu blog um artigo titulado: "O rei incita o povo a viver de assistência".

Neste artigo, criticava Muhammad VI por oferecer benefícios pessoais, como concessões para investir no transporte público ou na compra de terrenos a preços abaixo do valor real.

No último dia 11, o tribunal de Apelação de Agadir já havia ordenado a libertação provisória de Rayi, após se formar um grupo de advogados na cidade, por iniciativa da seção do Sindicato Nacional da Imprensa Marroquina (SNPM), para apelar da sentença de prisão.

Rayi é um jovem de 29 anos que só pôde estudar durante seis anos e que teve de começar a trabalhar quando ainda era muito jovem em banheiros públicos para poder ajudar a família.

Em seu blog eram publicados artigos sobre a situação social do país, o que fez com que a Polícia o prendesse no último dia 5 e o conduzisse ao tribunal, que o condenou a dois anos de prisão e a pagar uma multa de cerca de 450 euros em um processo muito rápido que não contou com a presença da defesa de Rayi. EFE hm/fh/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.