Tribunal anula pena de morte a 4 sudaneses por matarem diplomata americano

Cartum, 13 ago (EFE).- Um tribunal de apelação de Cartum anulou hoje a sentença de morte contra quatro islamitas sudaneses que foram condenados pelo assassinato do diplomata americano John Granfield e seu motorista, no dia 1º de janeiro de 2008.

EFE |

Segundo um comunicado do tribunal, a corte cancelou a pena de morte depois que a família do motorista sudanês assassinado perdoou os culpados.

De acordo com as leis sudanesas, não se pode matar um assassino se a família da vítima optar por perdoá-lo.

Até o momento, não houve a divulgação de um novo veredicto.

No dia 1º de janeiro de 2008, o diplomata, junto com seu motorista, Abdel-Rahman Abbas, foram mortos a tiros disparados de outro veículo, após comemorar o Ano Novo na embaixada britânica no bairro de al-Riyad, no centro de Cartum.

Granfield, de 33 anos, trabalhava na Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID, na sigla em inglês).

Todos os processados pertencem ao grupo islamita Ansar al-Tauhid (partidários do monoteísmo), original do norte do Sudão. EFE az/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG