Tribunal acata acusações de terrorismo contra 5 mauritanos ligados à Al Qaeda

Nuakchott, 16 set (EFE).- Um tribunal de Nuakchott acatou hoje as acusações de terrorismo apresentadas contra cinco supostos salafistas mauritanos, dos quais dois foram presos e três, incluindo um menor de idade, ficarão em liberdade condicional.

EFE |

Segundo fontes judiciais ouvidas pela Agência Efe, os dois detidos, Sidi Ould Dah Ould Mulaye Ely e Sidi Ould El Wavi, foram acusados de "pertencerem a um grupo criado para cometer atos terroristas e recrutar pessoas para tal fim".

O grupo em questão é a Al Qaeda para o Magrebe Islâmico (AQMI), braço da organização liderada por Osama Bin Laden.

Os outros três supostos salafistas, Mohammed Mahmoud Ould Abeidna, Cheikh Ould Mohammed Salek Ould Abed e Ould Idumu, de 16 anos, foram acusados de "incitação ao fanatismo religioso e ao terrorismo". O trio, no entanto, ficará em liberdade condicional até o fim das investigações. EFE mo/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG