Tribunal absolve egípcio condenado à prisão por insultar presidente

Cairo, 19 jul (EFE).- Um tribunal de apelação egípcio absolveu o funcionário condenado a três anos de prisão na semana passada por insultar, em um poema, o presidente do país, Hosni Mubarak, informou hoje a imprensa local.

EFE |

O jornal independente "Almasry Alyoum" assegura que a ONG Rede Árabe de Direitos Humanos tinha apelado da sentença anterior após denunciar que o acusado, Munir Hanna, de 56 anos, tinha comparecido perante o tribunal sem advogado.

Hanna foi detido em 31 de maio depois que um de seus companheiros denunciou o conteúdo de seus poemas. Além dos três anos de prisão, a sentença emitida contra ele estipulava uma multa equivalente a cerca de US$ 18 mil.

O funcionário escrevia poemas há um ano e meio, e alguns deles mostrava aos amigos e conhecidos com a esperança de que algum se transformasse em letra de música, segundo o jornal.

Hanna, morador da população de Magaga, sul do país, foi punido segundo um artigo do Código Penal, que penaliza as injúrias à figura do presidente com sentenças que vão desde 24 horas até os três anos de prisão. EFE jfu/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG