Treze anos depois de absolvido da morte da mulher, O.J. Simpson é condenado por roubo

O.J. Simpson, o ex-ator e ex-jogador do futebol americano, poderá passar até 33 anos na cadeia, depois de condenado nesta sexta-feira por 12 crimes, entre eles seqüestro e roubo, em conexão com um episódio ocorrido em um hotel de Las Vegas em setembro de 2007. A sentença foi proferida 13 anos depois de ter sido absolvido em um julgamento considerado polêmico, no qual era acusado do assassinato da ex-mulher e de um amigo dela.

AFP |

Com o uniforme azul de presidiário, ele ouviu o veredicto de cada uma das acusações apresentadas. A mais séria condenação foi de 15 anos de prisão por seqüestro.

Antes da leitura da pena, com a voz embargada e os olhos úmidos, o ex-ator fez um apelo por clemência à juíza.

"Não tive a intenção de ferir ninguém e não tive a intenção de roubar ninguém. Eu não sabia que o que eu estava fazendo era ilegal. Pensei que estivesse lidando com amigos e recuperando meus bens. Por isso, peço desculpas. Desculpe por tudo isso."

O ex-ator e ex-jogador de futebol americano foi considerado culpado pelo roubo e seqüestro de dois vendedores de artigos esportivos para colecionadores no hotel Palace Station no dia 13 de setembro do ano pasado. Alegou que tentava recuperar artigos avaliados em 100 mil dólares, ligados a sua carreira como esportista que estavam com as duas vítimas. Simpson alegava que os objetos ainda lhe pertenciam.

Simpson invadiu o local junto com um grupo de homens armados.

Um dos cúmplices dele, Clarence Stewart, também foi condenado a 15 anos de prisão.

Em um veredicto complexo, a juíza Jackie Glass explicou no tribunal que Simpson poderia passar pelo menos nove anos e um máximo de até 33 anos atrás das grades, afirmando que as provas contra ele eram irrefutáveis.

O ex-jogador chegou a ser detido poucos dias depois do roubo e pagou 125.000 dólares de fiança para responder ao processo em liberdade.

O circo da mídia que se formou em torno dele, a partir deste momento, lembrou ao público o episódio de 1884, quando Simpson foi capturado e preso como o principal suspeito do brutal assassinato de sua ex-mulher, Nicole Brown, e do amigo dela, Ron Goldman.

Orenthal James nasceu em 9 de julho de 1947 em São Francisco, Califórnia (oeste), e foi um dos mais célebres jogadores da NFL de sua geração.

Com dois anos de idade, no entanto, sofria de raquitismo, e precisou usar muletas para se locomover até os cinco. Mais velho, cresceu como uma criança problemática, que aos 13 anos passou a fazer parte de uma gangue de rua em São Francisco. Pouco depois, foi detido em um centro de recuperação para menores.

"Nunca fiz mal a ninguém", disse Simpson em uma entrevista à revista Playboy, em 1976. "Só batia nas pessoas que mereciam", como citou o site do canal ESPN.

A magistrada usou termos duros para descrever o ex-campeão de futebol americano, chamando-o de "arrogante" e "ignorante". "Foi para o quarto, pegou armas, usou a força para se apossar de bens alheios e, neste Estado, isso é roubo com arma letal", afirmou a juíza.

"Como juíza neste caso, não estou aqui para sentenciar o senhor Simpson pelo que aconteceu antes em sua vida", esclareceu a magistrada.

"Tenho grande respeito pelo sistema judiário e pelo veredicto do júri. Portanto, acato o que aconteceu há 13 anos. Muita gente não estava de acordo, mas isso não se refere a mim", acrescentou.

Fred Goldman, pai de Ronald Goldman, esteve presente à audiência e manifestou, entre lágrimas, sua "satisfação" e "agradecimento".

Os advogados de Simpson devem apelar da sentença e, caso seja confirmada, ele terá o direito de pedir liberdade condicional após nove anos de prisão.

bur/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG