Três são presos no Reino Unido em caso de lixo exportado para o Brasil

Três homens foram detidos nesta quinta-feira no Reino Unido como parte da investigação do caso que apura por que mais de 1.000 toneladas de dejetos ilegais foram exportados deste país para o Brasil, informou a Agência Britânica de Meio Ambiente.

AFP |

Os suspeitos foram presos na cidade de Swindon, sudoeste da Inglaterra. A agência abriu uma investigação para determinar a procedência dos resíduos que nas últimas semanas chegaram de navio a portos brasileiros.

Além disso, o órgão informou que estava trabalhando para trazer os resíduos de volta, negociando junto às companhias de transporte marítimo que os levaram para o Brasil.

"Estamos trabalhando com as empresas de transporte para o retorno da mercadoria, assumindo o custo disto, e investigaremos os contêineres quando forem liberados pelas autoridades brasileiras e voltarem ao Reino Unido", indicou uma das dirigentes da agência, Liz Parke.

Na véspera, o governo brasileiro havia anunciado que deu instruções à sua delegação permanente em Genebra no sentido de apresentar uma denúncia de tráfico de resíduos perigosos, nos termos da Convenção da Basileia, de 1992, que tem como objetivo controlar o movimento transfronteiriço de dejetos perigosos produzidos por nações industrializadas.

Segundo o Brasil, o chanceler Celso Amorim informou seu par britânico, David Miliband, sobre a decisão. Miliband, por sua vez, se comprometeu a "dar ao assunto a importância que merece".

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) anunciou na semana passada ter apreendido mais de 1.000 toneladas de lixo doméstico importadas do Reino Unido.

Os 41 contêineres foram desembarcados no porto de Santos, enquanto outros foram levados para o Rio Grande do Sul com "falsas declarações" indicando se tratar de plástico reciclável, como explicou à AFP Ingrid Oberg, representante do Ibama em Santos.

Nos últimos meses foram encontrados contêineres com 293 toneladas de lixo provenientes da Grã-Bretanha nos portos de Santos (SP), Rio Grande (RS) e na alfândega de Caxias do Sul (RS). Entre o material encontrado, estavam pilhas, seringas, camisinhas e fraldas usadas.

ra/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG