Três são declarados culpados de atentado em Mumbai em 2003

Nova Délhi, 27 jul (EFE).- Um tribunal de Mumbai declarou hoje três acusados, entre eles uma mulher, culpados de ter cometido o atentado que matou 52 pessoas em agosto de 2003 nessa cidade indiana.

EFE |

"O juiz especial M. R. Puranik fixou a sentença dos culpados para o dia 4 de agosto", disse à imprensa o procurador público Ujjwal Nikam.

Segundo Nikam, os acusados pertencem à organização caxemiriana Lashkar-e-Toiba, que opera a partir do Paquistão, e podem pegar agora a prisão perpétua ou a pena de morte, já que foram condenados com o artigo 302 do Código Penal.

Os três condenados são Ashrat Ansari, de 32 anos; Hanif Sayed, de 46; e a esposa deste último, Fehmida Sayed, de 43.

Todos eles foram declarados culpados pelas acusações de conspiração, assassinato, tentativa de assassinato, e pelas leis de explosivos, prevenção do terrorismo e danos à propriedade pública, informou a agência indiana "PTI".

Os réus ouviram em silêncio a decisão do juiz, que pronunciará a pena da condenação em 4 de agosto.

Outras duas pessoas detidas e acusadas em relação ao atentado tinham sido previamente libertadas pela Corte Suprema.

O atentado ocorreu em 25 de agosto de 2003, quando duas bombas explodiram - uma em um mercado e outra junto a um monumento da cidade -, deixando cerca de 100 feridos.

Nas últimas décadas, Mumbai foi um dos alvos preferidos de vários movimentos terroristas do subcontinente, que cometeram diferentes ataques, o último deles o ataque executado por um comando armado em novembro de 2008.

A Índia também atribuiu esse último ataque - cujo julgamento se desenvolve estes dias - ao Lashkar-e-Toiba. EFE daa/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG