Três morrem após suposto ataque de mísseis dos EUA no Paquistão

MIRANSHAH, Paquistão (Reuters) - Aviões supostamente dos Estados Unidos dispararam dois mísseis neste sábado em uma região considerada porto seguro para militantes do al Qaeda e do Talibã, matando três pessoas, disseram uma testemunha da Reuters e uma autoridade de inteligência. Este foi o segundo ataque do tipo na região tribal do Waziristão do Norte, na fronteira com o Afeganistão, nesta semana.

Reuters |

"Os mísseis foram disparados com um intervalo de um minuto", disse a testemunha da Reuters de Miranshahm, a maior cidade do Waziristão do Norte. "Eles causaram explosões gigantescas. Eu vi chamas subindo ao céu depois da explosão."

Uma autoridade de inteligência disse que três pessoas foram mortas no ataque que atingiu uma casa no bairro conhecido como Machis Colony.

"Três pessoas foram mortas. Nós não sabemos se eles são militantes ou civis", disse uma autoridade de inteligência na região à Reuters.

Seis pessoas, incluindo três combatentes árabes ligados ao al Qaeda, foram mortos em um ataque similar, próximo a Miranshah, na noite de quinta-feira.

Desde o início de setembro os Estados Unidos realizaram pelo menos dez disparos com mísseis, e um comando de ataque com alvos militares em áreas tribais do Paquistão.

O Paquistão condenou estes ataques e um porta-voz do ministério de Relações Exteriores do Paquistão disse anteriormente no sábado que esses ataques não serão úteis nem aos Estados Unidos nem ao Paquistão.

"Tais ataques fomentarão sentimentos anti-americanos, o que não será benéfico nem para nós nem para os Estados Unidos", disse o porta-voz, Mohammad Sadiq.

(Reportagem de Haji Mujtaba e Alamgir Bitani)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG