Três milhões de pessoas vítimas da fraude Madoff, 4.500 na América América

As vítimas pela fraude do finacista americano Bernard Madoff podem chegar a três milhões em todo mundo e a 4.500 na América Latina, afirmou nesta terça-feira o escritório de advogados espanhola Cremades&Calvo Sotelo, que acrescentou que a cifra de 50 bilhões de dólares fraudados pode aumentar.

AFP |

"Nossos cálculos são que pelo menos três milhões de pessoas foram afetadas pelo caso Madoff, três milhões de particulares que podem estar direta ou indiretamente afetados pelo caso", declarou Javier Cremades, presidente da firma.

Cremades apresentou nesta terça-feira as cifras recolhidas por 30 firmas de advogados de todo o mundo procuradas pelas vítimas de 25 países desse esquema de pirâmide e que representam bancos, 'hedge funds', colégios profissionais, fundações, universidades e clientes particulares.

A estimativa de mais de 50 bilhões de euros fraudados pode ser, incluisve, maior, segundo o advogado.

Na América Latina existem mais de 1.500 afetados podem ser pelo menos o triplo, ou seja, 4.500, na Argentina (mais de 400), Chile, Brasil, Uruguai, Peru, Colômbia, Bolívia, México e Bahamas, segundo os dados coletados por estas 30 firmas.

A firma Cremades&Calvo Sotelo e outra americana abriram recentemente um processo coletivo nos Estados Unidos contra o líder bancário espanhol, Santander, um dos mais expostos à fraude, cujos clientes têm um exposição total de 2,33 bilhões de euros (três bilhões de dólares).

esb/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG