Três dias de distúrbios deixam 35 mortos no Paquistão

Islamabad, 10 jan (EFE).- Pelo menos 35 pessoas morreram e outras 60 ficaram feridas nos últimos três dias em distúrbios registrados no noroeste do Paquistão entre grupos de duas correntes distintas do Islã, informou hoje o canal privado Geo TV.

EFE |

Os choques entre xiitas e sunitas começaram nesta sexta-feira na localidade de Hangu, situada na Província da Fronteira do Noroeste (NWFP), embora muito próxima às áreas tribais limítrofes com o Afeganistão.

Nas últimas 24 horas morreram 13 pessoas vítimas dos choques, que segundo Geo começaram após os protestos dos xiitas, que não obtiveram permissão para realizar uma procissão e foram atacados por integrantes do grupo rival.

De acordo com a versão da "Geo TV", as autoridades declararam o estado de emergência nos hospitais, fecharam os mercados e se convocou uma "jirga" (assembléia tribal) para pôr fim aos confrontos.

No entanto, o líder religioso da região Allama Khurshid Anwar Jawadi já pediu ao Governo que tome medidas imediatas para deter os distúrbios e devolver a paz, em vez de se comportar como um "espectador silencioso".

Estes dias é o mês sagrado do Muharram, o primeiro do calendário islâmico e de comemoração especial para a comunidade xiita, que é minoritária no Paquistão frente à sunita.

Ambas as comunidades convivem em diversos pontos do país e com freqüência costumam registrar-se distúrbios entre grupos ou atentados contra lugares de culto, especialmente no noroeste, onde predomina a etnia pashtun, que é sunita. EFE igb/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG