Três britânicos admitem plano de explodir aviões

Três dos oito britânicos acusados de conspirar para detonar explosivos líquidos a bordo de aviões transatlânticos em 2006 se declararam culpados em julgamento em Londres nesta segunda-feira. Abdulla Ahmed Ali, Assad Sarwar e Tanvir Hussein também admitiram ter conspirado para causar perturbação da ordem pública ao divulgar vídeos nos quais ameaçavam realizar ataques suicidas.

BBC Brasil |

Outros dois outros réus, Ibrahim Savant e Umar Islam, também se declararam culpados no caso do vídeo.

Segundo a polícia, o grupo planejava fabricar bombas que alguns dos acusados levariam a bordo de aviões de passageiros saindo do aeroporto de Heathrow em Londres para o Canadá e, principalmente, para os Estados Unidos.

Os promotores alegaram que eles planejaram explodir bombas de fabricação caseira disfarçadas de refrigerantes de bebidas durante os vôos.

A segurança em todos os aeroportos da Grã-Bretanha foi reforçada na época, e vôos foram cancelados, provocando grandes atrasos e temores de que os problemas vão prejudicar os negócios.

Ali e Sawar haviam admitido antes apenas que desejavam fazer o vídeo destacando o que qualificaram como injustiças contra muçulmanos no Iraque, Afeganistão e Líbano.

Seu protesto contra a política externa de países ocidentais incluiria uma pequena explosão no prédio do Parlamento britânico em que ninguém ficaria ferido, disseram.

Também foram cogitados outros alvos como refinarias de petróleo e aeroportos, afirmaram os dois réus.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG