Trem Londres-Paris volta a funcionar; neve é culpada por caos

Por Sophie Hardach e James Regan PARIS (Reuters) - A empresa que administra os trens Eurostar disse que o tráfego ferroviário entre Grã-Bretanha e França será retomado nesta terça-feira, depois de uma série de paralisações que deixou milhares de passageiros retidos e enfureceu o governo francês.

Reuters |

O Eurostar, que pertence às empresas estatais ferroviárias da França e da Bélgica e ao governo britânico, cancelou todos os seus serviços na segunda-feira, pelo terceiro dia consecutivo. No sábado, cerca de 2.500 pessoas ficaram retidas por até 16 horas dentro do túnel ferroviário que passa sob o canal da Mancha.

O governo francês disse duvidar que o frio seja a única razão para o incidente, e exigiu uma investigação. O presidente Nicolas Sarkozy convocou Guillaume Pepy, presidente do Eurostar e da estatal SNCF, para se explicar.

O diretor de operações do Eurostar, Nicolas Petrovic, disse que o problema se deveu a "uma neve levíssima, pulverizada", mais comum em montanhas do que na planície do norte da França. A empresa encomendou uma investigação independente.

Petrovic afirmou que muita neve entrou no trem e, quando a composição passava para o calor do túnel, a neve se derretia e causava uma condensação que afetava os sistemas elétricos do veículo.

"É a primeira vez que temos essas condições de neve neste local em 15 anos", disse Petrovic numa entrevista coletiva no terminal do Eurostar na Gare du Nord, em Paris.

O Eurostar pretende operar dois dos seus três serviços na terça-feira, após testes satisfatórios na segunda-feira com trens modificados. Mas Petrovic aconselhou os passageiros retidos a, se possível, procurarem outras formas de se deslocarem, e prometeu que o Eurostar arcará com os custos.

Petrovic disse que a empresa, que normalmente transporta 40 mil pessoas por dia entre a Grã-Bretanha e a Europa continental, espera a normalização do serviço até o dia 28.

TIPO ERRADO DE NEVE

"Não podemos acreditar que os trens do Eurostar não possam funcionar durante três dias por causa da neve, então deve haver um problema técnico", disse o secretário francês dos Transportes, Dominique Bussereau, durante visita à China na segunda-feira.

A empresa Eurotunnel, que opera o túnel sob a Mancha, disse que sua infraestrutura está intacta e que o seu serviço de trens para veículos, que divide o túnel com os trens de passageiros, está operando normalmente.

Petrovic disse que os custos associados à solução do problema serão altíssimos para a empresa. Ele acrescentou que vai querer saber por que houve tanta demora na retirada de passageiros no túnel, e disse que o Eurostar e o Eurotunnel têm de colaborar.

O Eurostar alegou que não consegue se comunicar com seus funcionários quando os trens entram no trecho subterrâneo.

Os passageiros passaram a noite de sexta para sábado retidos nos trens, num trajeto que normalmente leva 2h15min no trecho Londres-Paris.

Alguns reclamaram que foram deixados sem energia, ar-condicionado, alimentos ou água, e receberam pouca ou nenhuma informação durante o tempo todo.

Ilustrando a escala dos problemas enfrentados pelo Eurostar e pelos passageiros, Petrovic acrescentou: "Não podemos achar 40 mil quartos de hotel. Não é possível".

Ele prometeu indenizar os passageiros que ficaram presos no túnel com 240 dólares, o dobro do preço da passagem, e disse que todos os que não fossem capazes de viajar teriam suas despesas de hotel reembolsadas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG