Um casal de brasileiros que morava na cidade italiana de Áquila, atingida por um violento terremoto na segunda-feira, conseguiu se salvar sem ferimentos, mas decidiu voltar ao Brasil por medo dos tremores de terra que continuam no local. Luiz Antonio de Oliveira da Silva, 22 anos, e Aline de Souza Santana, 28 anos, de São Gonçalo, Rio de Janeiro, embarcaram de volta ao Brasil e tem chegada marcada para esta sexta-feira.

"Vimos a morte de perto, ela queria nos pegar mas, felizmente, existe um Deus, que é grande e nos salvou. Foi aterrorizante. Para um brasileiro que nunca viu essas coisas, é triste, assustador", disse Luiz Antonio à BBC Brasil pouco antes de embarcar.

Luiz Antonio, que tem passaporte português, morava em Áquila há dois anos, onde trabalhava como inspetor em um clube de futebol de salão. No fim do ano passado, chegou Aline, e os dois se casaram em março."Estava contente e tranquilo, tinha laços na cidade, trabalho, casa, carro, tudo. Agora, cada vez que fecho os olhos, vem o flash daquela noite", disse Luiz.

A casa onde eles moravam fica a 5 minutos do centro histórico de Áquila. Não desabou, mas ficou com rachaduras e, desde o dia do terremoto, eles não puderam mais voltar lá.

Habituado aos pequenos abalos sísmicos que vinham sendo registrados na cidade há semanas, o casal foi pego de surpresa quando a terra tremeu fortemente na madrugada de segunda feira.

"Acordamos às dez e meia da noite porque a casa deu uma tremida. Minha esposa me acordou e perguntou o que era. Como estava sentindo essas tremidinhas de vez em quando, disse pra ela não se preocupar que ia passar", contou Luiz Antonio.

O casal voltou a dormir até às 3h30m, quando ocorreu o tremor principal, que destruiu parte da cidade. Aline disse que nunca mais vai esquecer o que viveu naqueles dias.

"Foi uma experiência muito feia, triste. Viver aquela situação tão de perto, estava me fazendo muito mal. Eu achava que não ia aguentar. Só quem esta lá na hora é que sabe. Parece que a terra vai te consumir, não dá para descrever, é horrível", disse Aline à BBC Brasil.

Luiz e Aline passaram o resto da noite do terremoto no carro. No dia seguinte, foram alojados no clube onde Luiz trabalhava, que se transformou em dormitório para centenas de desabrigados.

"A defesa civil pediu para montar as tendas para as pessoas lá, com umas 500 camas. Ficamos até ontem (quarta-feira) , não tínhamos para onde ir", contou Luiz.

O casal deixou Áquila de trem. Ao chegar a Roma, foram alojados pelo consulado e, nesta quinta feira, com autorização do Itamaraty, embarcados em um voo de volta ao Brasil, custeado pela autoridade brasileira. O casal deixou quase tudo o que tinha em Áquila: roupa, televisão, aparelhos eletrônicos, carro e o emprego.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.