Tratamento combinado desacelera o avanço do câncer de pulmão (estudo)

A combinação de dois medicamentos oncológicos permitiu, após um tratamento de quimioterapia, desacelerar a progressão do câncer de pulmão em estágio avançado, segundo estudo apresentado neste sábado nos Estados Unidos.

AFP |

Este teste clínico de Fase 3 conduzido em 768 pacientes mostrou que o câncer em pessoas que foram tratadas com Tarceva (do laboratório suíço Roche) combinado com Avastin (de sua filial americana Genentech), progrediu mais lentamente entre os pacientes do grupo de controle tratados somente com Avastin.

Os pacientes tratados com uma combinação de Tarcera e Avastin sobreviveram em média 4,8 meses a mais antes de a doença piorar, comparativamente aos 3,7 meses do grupo testemunho, destacou Vincent Miller do Centro Memorial Sloan-Kettering sobre o câncer de Nova York (leste) e principal autor do estúdio.

O câncer de pulmão ligado ao tabagismo é o tipo mais comum de câncer pulmonar e também o mais frequente de todas as formas de câncer, com 14% de casos nos Estados Unidos. Também é mais mortífero, com 23,3% de mortes neste país, muito abaixo do câncer do colo-retal (8,9%) e de mama (7,2%).

"Este é o primeiro teste clínico que mostra que a combinação de Tarcera e Avastin como tratamento destas doenças prolonga efetivamente a sobrevivência sem agrava o câncer de pulmão", explicou Miller em uma apresentação à imprensa.

js/lm/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG