Transportistas paquistaneses não querem abastecer tropas da Otan no Afeganistão

As empresas paquistanesas de transporte deixaram de abastecer as tropas estrangeiras no Afeganistão devido à deterioraçao da segurança na rota que utilizam.

AFP |

Esta decisão foi tomada depois dos ataques, no início de dezembro, contra depósitos situados no noroeste do Paquistão, nos quais rebeldes paquistaneses incendiaram cerca de 300 caminhões da Otan e das forças sob comando dos Estados Unidos no Afeganistão.

O Pentágono já minimizou o impacto dos ataques contra depósitos militares da Otan no Paquistão, mas alguns analistas admitem que existam dúvidas sobre o futuro do abastecimento das tropas estrangeiras no Afeganistão, num momento em que Washington prevê enviar reforços.

Mas os recentes ataques evidenciaram a vulnerabilidade das cadeias de abastecimento das forças estrangeiras via Paquistão.

No total, 80% do abastecimento das tropas estrangeiras no Afeganistão provêm do Paquistao, principalmente combustível para equipamento pesado, e a entrega é feita basicamente pela passagem de Khyber, que une ambos países.

A passsagem de Khyber constitui um ponto de abastecimento estratégico para as forças da Otan na região. Fica situada próxima das zonas tribais do nordeste do país.

Estas áreas são dominadas por grupos de talibãs e combatentes da rede terrorista Al-Qaeda, que fugiram do Afeganistão depois da queda do regime talibã em 2001.

str/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG