Transporte com a China não implica em unificação, diz presidente taiuanês

Taipé, 16 dez (EFE).- O início na segunda-feira de ligações diretas de transporte com a China não tem nenhuma relação com o tema da união ou separação da China, disse hoje o presidente taiuanês, Ma Ying-jeou.

EFE |

O começo dos vínculos de transporte simboliza a "busca pela paz" e a opção por "meios pacíficos para resolver as diferenças", disse o presidente taiuanês, em uma entrevista à rede de televisão "Hakka".

Os laços diretos diminuem as distâncias entre as duas partes do estreito de Formosa, o que ajuda a se colocar na situação do outro, disse Ma.

A abertura de ligações diretas representa a opinião majoritária em Taiwan, mas o Governo respeita os que não concordam e aceita a supervisão cidadã.

O opositor e independentista Partido Democrata Progressista criticou a abertura dos laços com a China e prometeu vigiá-los, para impedir que prejudiquem os interesses dos taiuaneses e a soberania nacional. EFE flp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG