Transparência Internacional se retira temporariamente da Bósnia

Sarajevo, 12 jul (EFE).- A Transparência Internacional (TI) informou hoje a suspensão temporária de suas atividades na Bósnia, após as acusações das autoridades do ente servo-bósnio de envolvimento do pessoal dessa ONG em extorsões de empresários locais.

EFE |

"É um dos poucos casos da história da TI em que as pressões sobre seu pessoal local cresceram até o ponto em que se vê obrigado a suspender suas operações", disse à imprensa bósnia Cobus de Swardt, diretor-executivo dessa organização.

O primeiro-ministro servo-bósnio, Milorad Dodik, disse que a retirada do TI é "um truque propagandístico" e uma tentativa de desacreditar os esforços para "garantir um ambiente de neutralidade para o funcionamento de instituições independentes, se algo assim existe na Bósnia-Herzegovina".

No final de junho, a imprensa bósnia informou que a Procuradoria do país estava investigando vários funcionários de ONGs internacionais, suspeitos de extorquir empresários locais em troca de não serem incluídos em listas negras de acesso à UE e aos Estados Unidos.

A investigação, cujos detalhes ainda não vieram à tona, foi aberta após as denúncias apresentadas por seis executivos da República Sérvia (da Bósnia) aos quais vários empregados das ONG teriam pedido quantias entre 25.000 euros e 100.000 euros.

Esses empregados ofereciam ajuda aos empresários para eliminar seus nomes da chamada "lista negra" ou evitar que fossem incluídos entre as pessoas que estão proibidas de entrar em países da União Européia (UE) e nos Estados Unidos. EFE Nh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG