Transmissão da gripe pode ter ocorrido meses antes de detectar foco

Londres, 11 jun (EFE).- Uma nova análise do vírus da gripe suína sugere que a transmissão aos humanos ocorreu vários meses antes que se pudesse detectar o atual foco, informa hoje a revista científica Nature, em seu site.

EFE |

A análise, a cargo do professor Andrew Rambaut, do Instituto de Biologia Evolucionária da Universidade de Edimburgo (Escócia), evidencia a necessidade de contar com uma vigilância sistemática da gripe entre os suínos.

Além disso, o estudo dá provas de que novos elementos genéticos nos porcos podem levar ao surgimento de vírus com possibilidade de se transformar em pandemia entre os humanos.

O foco da gripe suína está atualmente na fase cinco de alerta de pandemia na classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que hoje pode elevá-lo à fase seis (pandemia).

O artigo da publicação científica britânica ressalta que é importante ficar em alerta sobre a evolução desta gripe.

Rambaut e seus colegas da Universidade de Edimburgo utilizaram análise da evolução para estimar o calendário da origem e o desenvolvimento precoce da epidemia.

Os especialistas acham que esta gripe derivou de vários vírus que circulavam nos suínos, e que a transmissão inicial aos humanos ocorreu vários meses antes de se reconhecer o foco.

Os casos de infectados pelo vírus A (H1N1) já são de 27,737 mil em 74 países, segundo os últimos dados atualizados da OMS.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE vg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG