Transmissão da gripe de humanos a porcos é provável, diz OIE

PARIS (Reuters) - Mais casos de transmissão do vírus da gripe H1N1 de humanos para porcos provavelmente vão acontecer, mas não deve haver uma grande preocupação porque os animais são pouco afetados pelo vírus, disse nesta quarta-feira a Organização Mundial da Saúde Animal (conhecida pela antiga sigla OIE). Autoridades de saúde do Canadá disseram no dia 2 de maio que uma criação de porcos na província de Alberta havia sido infectada pelo vírus por um carpinteiro que esteve no México, o epicentro da gripe H1N1 que se espalhou para 46 países.

Reuters |

Esse é o único caso confirmado de transmissão do vírus de humanos para porcos em todo o mundo.

"Não ficaríamos surpresos se tivermos outros casos como esse em outros países", disse o diretor-geral da OIE, Bernard Vallat, em entrevista coletiva em Paris.

"Mas não é um problema, porque sabemos que os porcos não são um grande agente na disseminação epidemiológica."

O novo vírus H1N1 já infectou 13.000 pessoas e matou 92 ao redor do mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

Vallat reiterou que os vírus da gripe circulam facilmente entre as espécies, especialmente quando cepas são misturadas. O novo H1N1, inicialmente conhecido como gripe suína, é uma mistura de vírus da gripe de humanos, aves e porcos.

A OIE, uma organização intergovernamental com 147 Estados membros, tem afirmado frequentemente que não há provas por enquanto da transmissão de porcos para humanos. A entidade foi a principal opositora a que se desse o nome de gripe suína ao novo vírus H1N1.

(Reportagem de Sybille de La Hamaide)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG