Tranquilidade marca o segundo turno de eleições parlamentares na Lituânia

VILNIUS - O segundo turno das eleições parlamentares na Lituânia se desenvolve em um ambiente de absoluta calma e com participação levemente superior à registrada há duas semanas, informaram as autoridades eleitorais do país báltico, membro da União Européia (UE) desde 2004.

EFE |

Acordo Ortográfico Segundo a Comissão Eleitoral Central (CEC), às 10h (6h de Brasília), três horas depois de abrirem os locais de votação, 5,26% dos eleitores - dois décimos percentuais a mais que no primeiro turno nessa mesma hora - já haviam depositado seu voto.

"A votação se desenvolve bem. Não recebemos reivindicações nem queixas", declarou, em entrevista coletiva, o presidente da CEC, Zenonas Vaigauskas, que ressaltou que 4% dos eleitores votaram antecipadamente.

Neste segundo turno, serão escolhidos os 68 deputados que faltam para completar o Parlamento, integrado por 141 cadeiras.

Na primeira votação, realizada no último dia 12, foram escolhidos 70 deputados por listas de partidos e somente três em circunscrições majoritárias: dois do governista Partido Social-Democrata e um do conservador Ação Eleitoral dos Poloneses na Lituânia.

Para ganhar uma cadeira nas circunscrições majoritárias é necessário obter a maioria absoluta dos votos emitidos e, quando isso não acontece, os dois candidatos mais votados concorrem em um segundo turno.

O partido opositor União da Pátria - o mais votado há duas semanas, com quase 20% dos votos, o que lhe concedeu 18 cadeiras -, busca repetir hoje seu êxito eleitoral em circunscrições majoritárias.

Os conservadores poderão ampliar consideravelmente sua representação no Parlamento, pois 45 de seus candidatos conseguiram passar para o segundo turno.

O líder da União da Pátria, o ex-primeiro-ministro Andrius Kubilius, assegurou que sua legenda obterá mandatos suficientes para "impulsionar grandes mudanças" na política do país.

O grande perdedor do primeiro turno foi o Partido Social-Democrata Lituano, liderado pelo atual primeiro-ministro, Gediminas Kirkilas, que ficou em quarto lugar e conseguiu 10 cadeiras (mais duas em circunscrições majoritárias).

Os colégios eleitorais permanecerão abertos até 20h (16h de Brasília) e depois será iniciada a apuração.

    Leia tudo sobre: lituânia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG