Considerado por Washington um dos narcotraficantes mais perigosos do mundo, jamaicano pode ser sentenciado à prisão perpétua

Funcionários da Agência Antidrogas dos EUA direcionam narcotraficante jamaicano Christopher
AP
Funcionários da Agência Antidrogas dos EUA direcionam narcotraficante jamaicano Christopher "Dudus" Coke do aeroporto de Westchester County para veículo (24/06/2010)
O traficante jamaicano Christopher "Dudus" Coke, considerado pelos EUA um dos líderes mais perigosos do narcotráfico no mundo, declarou-se nesta sexta-feira inocente perante um juizado federal em Nova York pelos crimes de tráfico de armas e de drogas. Essas acusações acarretaram sua extradição para os EUA na quinta-feira

Coke, que chegou na noite de quinta-feira a Nova York para responder a acusações de conspirar para distribuir maconha e cocaína e de participar de atividades ligadas ao tráfico de armas, segundo a Promotoria federal de Manhattan, declarou-se "inocente" em uma audiência na qual esteve acompanhado por um advogado.

O suposto narcotraficante, que foi detido em 22 de junho nas imediações da capital jamaicana depois de cinco semanas foragido, está detido sem a opção de fiança e deverá depor novamente na semana que vem, quando já disporá de um advogado próprio.

A decisão da Jamaica de autorizar a extradição de Coke para os EUA desatou uma onda de violência em maio entre seus partidários e as autoridades do país, que deixou pelo menos 73 mortos , dezenas de feridos e 500 detidos.

As autoridades americanas consideram que Coke lidera uma organização criminosa conhecida como Shower Posse desde os anos 90, formada por jamaicanos, americanos e pessoas de outros países.

Se for condenado pelos crimes de que é acusado, pode chegar a ter de cumprir prisão perpétua.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.