Tráfego na internet cresceu 19% durante homenagem a Michael

Los Angeles (EUA), 8 jul (EFE).- O tráfego na internet cresceu 19% acima da média normal durante a homenagem póstuma a Michael Jackson organizada nesta terça-feira no ginásio Staples Center, de Los Angeles, informou hoje a imprensa americana.

EFE |

Durante a transmissão do evento, o tráfego na web chegou a ser até 33% superior às médias frequentes, segundo a Akamai Technologies, uma empresa especializada do estado de Massachusetts.

"Quando uma figura pública de importância global como Michael Jackson morre, o desejo do público em obter informação atualizada raramente se sacia totalmente", explicou Robert Hughes, vice-presidente executivo de vendas globais, serviços e marketing da companhia.

Portais como "CBSNews.com", "ABCNews.com", "FoxNews.com" e "Hulu.com" transmitiram a cerimônia ao vivo.

O "Hulu.com" informou que o número de visitas registradas pelo portal ontem foi o segundo mais alto de sua história, atrás apenas da posse de Barack Obama como presidente dos Estados Unidos, em 20 de janeiro.

O portal do canal "CNN" registrou 9,7 milhões de visitas durante a transmissão ao vivo do evento.

O recorde histórico para esse site é de quase 27 milhões de conexões, também durante a posse de Obama.

O "MSN.com" publicou que o portal recebeu durante o evento mais de três milhões de visitar, o maior tráfego de sua história e 50% superior ao registrado durante a posse de Obama.

Além disso, milhões de pessoas acompanharam o serviço funerário por meio de redes sociais como Facebook e Twitter, onde os termos mais procurados durante a homenagem a Michael foram "MJ Memorial" e "Michael Jackson".

Segundo porta-vozes do "Facebook", quase 800 mil status de páginas pessoais foram atualizados nos primeiros 30 minutos da homenagem ao cantor.

Michael Jackson tem cerca de sete milhões de seguidores em sua página oficial no Facebook, o que o transforma na figura mais popular nessa rede social, acima de Obama, que possui pouco mais de seis milhões. EFE mg/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG