Cartum, 1 nov (EFE).- O último dos nove trabalhadores chineses que foram seqüestrados no dia 18 de outubro no Sudão foi encontrado morto nesta sexta-feira por soldados sudaneses em uma região do sul do país, informou o Exército.

Em comunicado, as Forças Armadas sudanesas confirmaram também que suas tropas encontraram vivo outro dos cidadãos chineses seqüestrados por um grupo armado na região do sul de Kurdufan, vizinha à de Darfur.

A nota, divulgada ontem à noite, não específica os dois trabalhadores chineses foram achados no mesmo local.

Além disso, o Exército assinalou que possui uma lista com os nomes de 25 pessoas que participaram do seqüestro, que as autoridades qualificam como uma "ação terrorista".

O diretor da Polícia sudanesa, Mohammed Najib, revelou ontem à noite que seus soldados perseguem os seqüestradores dos chineses em uma zona montanhosa, e advertiu que serão capturados para que sejam entregues à Justiça.

O embaixador chinês em Cartum, Li Chengwen, já tinha informado ontem que um de seus nove compatriotas seqüestrados tinha sido encontrado vivo, mas acrescentou que um dos reféns seguia em paradeiro desconhecido.

Quatro dos capturados morreram na segunda-feira passada e outros três ficaram feridos em uma tentativa fracassada de resgate das forças de segurança sudanesas.

Os seqüestrados trabalhavam na companhia estatal chinesa de petróleo Sinopec. EFE az/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.