TPII rejeita último recurso de Karadzic para adiar julgamento

Bruxelas, 26 fev (EFE).- O Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) rejeitou hoje o último recurso interposto pelo ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic para adiar o julgamento por genocídio e crimes contra a humanidade que deve ser retomado na próxima segunda-feira em Haia.

EFE |

Karadzic, que já interpôs vários recursos para tentar dilatar o processo que teve que ser adiado em outubro do ano passado por causa de sua negativa a se apresentar para a audiência, tinha pedido ao tribunal uma nova prorrogação alegando que sua defesa não estava pronta por falta de documentos secretos relevantes para o caso.

O tribunal negou o adiamento e convocou Karadzic a comparecer na próxima segunda-feira no reatamento da audiência, que começará com duas primeiras jornadas nas quais se espera o acusado faça suas alegações iniciais.

Na decisão, o TPII assinala que os pedidos de Karadzic "têm pouca relevância" para sua defesa e "não justificam" demorar mais o julgamento.

A corte lembra a ele que teve "18 meses para preparar sua defesa" e que demorar mais o reatamento do procedimento "seria uma medida drástica que teria repercussões para os direitos das partes e o bom desenvolvimento do procedimento".

O auto também contesta Karadzic, que insiste em defender-se sozinho, e assevera que "se o acusado não quis colaborar com o advogado de ofício Richard Harvey foi uma decisão sua e deverá aceitar as consequências".

Sobre Karadzic pesam 11 acusações de genocídio, crimes de guerra e de lesa-humanidade ocorridos durante a guerra da Bósnia (1992-1995).

As acusações de genocídio se referem ao assassinato em 1995 de cerca de oito mil muçulmanos homens na cidade bósnia de Srebrenica e à morte de 12 mil vítimas civis do cerco a Sarajevo durante o conflito. EFE lmi/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG