Haia, 20 fev (EFE).- O Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) adiou hoje até novo aviso a declaração de culpa ou inocência do ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic, já que a Promotoria pediu uma mudança de última hora na ata de acusação.

Karadzic compareceu hoje em uma audiência preliminar, na qual se esperava que pudesse se declarar culpado ou inocente das 11 acusações de crimes de guerra, incluindo genocídio, e contra a humanidade supostamente cometidos durante a Guerra da Bósnia (1992-1995).

Os juízes iniciaram a audiência informando sobre uma moção da Promotoria na qual se solicita aos magistrados que reconsiderem incluir na acusação um caso de assassinato que previamente tinham rejeitado.

O juiz que preside a fase prévia do julgamento, Ian Bonomy, disse durante a audiência: "adiamos a declaração de culpa ou inocência à espera de decisão sobre o pedido da Promotoria".

Karadzic, que reafirmou seu empenho de fazer sua própria defesa, conta com um prazo de uma semana para se opor ao pedido dos promotores.

O ex-líder dos sérvios da Bósnia esclareceu que sua resposta terá como motivo de disputa que a acusação já é ampla demais, o que não favorece a efetividade da evolução do julgamento.

"De minha parte, não houve atrasos deste processo e, quando vejo esta acusação, acho que este julgamento será muito longo", disse.

Karadzic também denunciou que o Governo sérvio decretou como "segredo de Estado" declarações de sete potenciais testemunhas de sua defesa e pediu que seja anulada essa decisão.

O TPII aceitou esta semana parcialmente a acusação emendada apresentada pela Promotoria, para acrescentar uma segunda acusação de genocídio contra Karadzic.

Além disso, o tribunal rejeitou acrescentar novos incidentes com resultado de morte em quatro das acusações contra o acusado, depois que a sala considerou que não havia evidências suficientes.

Após esta decisão, os promotores continuam sustentando que se deveria incluir um desses incidentes rejeitados.

Espera-se que haja outra audiência preliminar no prazo de duas semanas, mas não está claro se então poderá acontecer a declaração de culpa ou inocência do acusado.

A acusação contra Karadzic inclui o assassinato de quase 8 mil muçulmanos homens, incluindo crianças, na cidade bósnia de Srebrenica, em 1995, e o cerco a Sarajevo, no qual morreram milhares de pessoas. EFE mr/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.