Torre Eiffel comemora 120 anos amanhã sem rival na França

Paris, 30 mar (EFE).- A Torre Eiffel, símbolo indiscutível da paisagem de Paris, comemora nesta terça-feira 120 anos sem encontrar rival na capital francesa desde que foi inaugurada para a Exposição Universal de 1889.

EFE |

Inicialmente chamada Torre de 300 metros, apesar de, na época, ter 312 metros, esta estrutura de ferro forjado, concebida pelo engenheiro francês Gustave Eiffel, é um dos monumentos mais visitados do mundo.

Para seu aniversário, a estrutura recebeu uma nova camada de pintura cor bronze, a 19ª desde sua inauguração.

O monumento foi inaugurado no dia 31 de março de 1889, quando Gustavo Eiffel subiu os 1.710 degraus existentes desde o piso até o terceiro andar da torre e hasteou a bandeira francesa.

Formada por 18.038 peças de ferro sustentadas por 2,5 milhões de parafusos, as 10.100 toneladas da Torre suportam o peso das camadas de pinturas anteriores, que calcula-se que pesem 250 toneladas.

Eiffel, um engenheiro que construía pontes e responsável pela estrutura metálica da Estátua da Liberdade, de Nova York, fiscalizou pessoalmente as obras da Torre, que seria erguida de forma provisória para a exposição.

Foi graças à instalação de uma antena de rádio em seu ponto mais alto pela Marinha Francesa que o monumento foi indultado.

A Torre, que foi o prédio mais alto do mundo durante mais de 40 anos até que, em 1929, foi substituída no posto pelo Edifício Chrysler em Nova York, começou a ser construída em janeiro de 1887 em meio a críticas dos que a consideravam uma "desonra" a Paris.

A Academia francesa de Belas Artes, o pintor Ernest Meissonier e o escritor Guy de Maupassant foram alguns dos grandes críticas à construção, à qual chegaram a qualificar de "inútil e monstruosa".

Os próprios parisienses não gostaram muito da ideia, devido à sua altura excessiva - ainda hoje continua sendo o edifício mais alto de Paris, seguido da Torre Montparnasse- e as dúvidas em torno da confiabilidade de sua construção.

Apesar das críticas de artistas e estudiosos, o público aprovou o monumento após sua inauguração, em 1889.

Das 32 milhões de pessoas que visitaram a Exposição Universal de Paris, quase dois milhões se atreveram a subir até o último andar da Torre, símbolo da era industrial.

Entre os números exagerados que rodearam sua construção (trabalhadores empregados, toneladas de ferro e de pregos utilizados, altura, tamanho, etc.), um dos destaques foi o fato de não ter ocorrido nenhuma morte durante sua edificação.

Atualmente, a Torre Eiffel brilha nas noites parisienses com uma iluminação especial, em algumas ocasiões com cores adaptadas a comemorações nacionais e internacionais, como durante os dois primeiros meses da Presidência semestral francesa da União Europeia (UE).

Localizada nas proximidades do Rio Sena e a um extremo do Campo de Marte, a torre oferece uma vista excepcional que, em 2008, foi desfrutada por seus 6.930.000 visitantes, 0,5% a mais que no ano anterior, o que representou um novo recorde de visitas.

Propriedade da Prefeitura de Paris, desde 1980 a Sociedade de Exploração da Torre Eiffel (Sete) é a companhia encarregada de implementar um programa sustentável de restauração e renovação do monumento, focalizado principalmente nos sistemas contra incêndios.

A Torre Eiffel, reproduzida até não poder mais em souvenirs comprados pelos turistas, lembra seus 120 anos sendo o ponto mais alto de Paris e o emblema mais popular da França no mundo, sem ter encontrado rival à altura. EFE inmg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG