Tóquio confirma sequestro de jornalista japonês no Afeganistão

O governo do Japão confirmou nesta sexta-feira o sequestro no Afeganistão de um jornalista freelancer japonês, desaparecido após viajar esta semana para uma zona controlada pela milícia islâmica Taleban na Província de Kunduz (norte).

EFE |

"Sei que foi sequestrado, mas quero evitar fazer comentários por vários fatores humanitários", disse o porta-voz do governo, Hirofumi Hirano, em declarações à agência "Kyodo".

Vários meios de imprensa japoneses identificaram o jornalista como Kosuke Tsuneoka, de 40 anos, que tinha viajado ao Afeganistão em 18 de março.

Segundo as mensagens escritas pelo próprio repórter na rede social Twitter, no dia 29 de março ele estava em Cabul e na manhã do dia 31 entrou em uma área de Kunduz controlada pelo Taleban, momento a partir do qual não houve mais notícias sobre ele.

As mensagens também apontavam que sua intenção era entrevistar vários líderes taleban.

Em seu perfil nessa rede, Tsuneoka se descreve como jornalista freelancer que trabalha para revistas, televisão e outros meios de imprensa.

O repórter tinha feito a cobertura, entre outros assuntos, dos conflitos do Iraque e da Chechênia, segundo a "Kyodo".

O governo japonês pôs fim em janeiro à sua missão logística de apoio aos Estados Unidos no Afeganistão, que se centrava na provisão de combustível às tropas americanas e aliadas no Oceano Índico.

Leia mais sobre Afeganistão 

    Leia tudo sobre: afeganistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG