Tóquio (1964): basquete do Brasil é bronze; vôlei e judô fazem suas estréias

Redação Central, 2 ago (EFE).- O vôlei e o judô brasileiros fizeram suas estréias nos Jogos Olímpicos na edição de 1964, em Tóquio, competição que marcou a segunda medalha de bronze para o basquete do país.

EFE |

Apesar de se tornarem fontes de medalhas anos depois, os esportes estreantes não subiram ao pódio, mas conseguiram algum destaque.

O vôlei trazia na equipe um jovem Carlos Arthur Nuzman, atual presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), mas não fez grande campanha. A seleção venceu as três primeiras partidas - contra Hungria, Coréia do Sul e Estados Unidos -, mas após uma seqüência de cinco derrotas, para tchecos, romenos, soviéticos, japoneses e holandeses, terminou apenas em sétimo.

Já no judô o país contou com apenas um competidor, o japonês naturalizado brasileiro Lhofei Shiozawa, que caiu nas quartas-de-final na categoria médio (até 80kg).

Por sua vez, o basquete trouxe quase o mesmo time que havia conquistado o bronze em Roma, quatro anos antes, e incluía desta vez os jovens Edvar Simões e Ubiratan.

Depois de uma derrota inesperada na estréia para o Peru, o Brasil seguiu na competição vencendo Iugoslávia, Coréia do Sul, Finlândia, Uruguai, Austrália e Porto Rico, antes de cair novamente contra americanos e soviéticos e ficar em terceiro lugar.

Outro destaque em Tóquio foi o quarto lugar da niteroiense Aída dos Santos - única mulher entre os 68 atletas da delegação - no salto em altura. Também fizeram bom papel o cavaleiro Nélson Pessoa, quinto colocado no salto individual do hipismo, e o iatista Jorge Bruder, sétimo na classe Finn.

A seleção de futebol, assim como em Roma, foi eliminada na terceira partida, após golear por 4 a 0 a Coréia do Sul, empatar em 1 a 1 com a República Árabe Unida - composta de egípcios e sírios - e perder por 1 a 0 para a Tchecoslováquia.

No boxe, o meio-médio-ligeiro João Henrique da Silva chegou às quartas-de-final, a exemplo de Ralph Zumbano em Londres e Éder Jofre em Melbourne.

O país ainda competiu sem sucesso na natação e no pentatlo moderno, além de dar vexame no pólo aquático, goleado por Iugoslávia e Estados Unidos, e derrotado pela Holanda. EFE ev/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG