Tomografia de Lucy vira pré-humanos pelo avesso

HOUSTON (Reuters) - Tomografias viraram pelo avesso os restos de Lucy, provavelmente o ser proto-humano mais famoso, e isso pode responder a questões sobre como nossos ancestrais desceram das árvores e caminharam, disseram cientistas na sexta-feira. A Universidade do Texas, em Austin, em parceira com o governo da Etiópia, completou a primeira tomografia computadorizada de alta resolução desse espécime ancestral dos humanos, que viveu há cerca de 3,2 milhões de anos.

Reuters |

"Essas tomografias que completamos na Universidade do Texas nos permitem ver a arquitetura interna -- como seus ossos são construídos", disse à Reuters o professor de Antropologia John Kappelman, um dos chefes da pesquisa que examinou todas as 80 peças do esqueleto de Lucy.

Os cientistas esperam que o estudo de uma Lucy "virtual" dê pistas sobre a vida dos nossos ancestrais. Esse esqueleto foi achado em 1974 na Etiópia e é o exemplar mais bem-preservado do Australopithecus, uma espécie proto-humana.

"Isso a abre a pessoas que, em vez de terem de viajar a algum museu distante para ver o original, podem realmente resolver no computador", disse Kappelman.

O antropólogo disse que as tomografias poderiam revelar novidades sobre o encaixe dos ossos de Lucy - e portanto se ela e seus iguais subiam em árvores além de andar.

O fóssil de Lucy está visitando os EUA como parte de uma inédita exposição itinerante promovida pelo Museu de Ciências Naturais de Houston. O esqueleto, com um metro de altura, está cerca de 40 por cento completo.

"Isso vai nos ajudar a preencher o que foi um dos primeiros estágios (...) da nossa evolução, para realmente entendermos melhor os comportamentos de um primo extinto. De certa forma é como (...) conseguir sintonizar a máquina do tempo em 3 milhões de anos atrás, ir e voltar e conseguir reconstruir o que esse fóssil estava fazendo no seu dia-a-dia", disse Kappelman.

"Ela provavelmente é agora, e acho que será por muito tempo, o fóssil mais famoso do planeta Terra", acrescentou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG