Toma posse Kirill, patriarca de Moscou e de todas as Rússias

Kirill, patriarca de Moscou e de todas as Rússias, tomou posse neste domingo na catedral do Cristo Salvador e assumiu a liderança de uma Igreja ortodoxa em forte crescimento desde a queda da União Soviética, na presença do presidente, Dmitri Medvedev, e do primeiro-ministro, Vladimir Putin.

AFP |

"Axios, axios, axios" ("ele é digno", em grego), exclamaram os 4.000 convidados - dignitários ortodoxos, representantes de outras religiões, líderes políticos e simples fiéis - dentro da imponente catedral, no coração de Moscou.

Naquele exato momento, Kirill, eleito terça-feira por um concílio, se tornou oficialmente o chefe da Igreja ortodoxa russa.

Poucos minutos antes, os metropolitas de Kiev e de Minsk tinham feito Kirill sentar três vezes no trono, conforme o ritual.

No fim da cerimônia, o patriarca recebeu o cetro de madeira incrustado de ouro do metropolita Piotr, que data do século XIV e é uma das relíquias mais preciosas da Igreja ortodoxa russa. O cetro simboliza o poder espiritual, e é normalmente exposto nos museus do Kremlin.

Em discurso pronunciado no fim da cerimônia, o presidente Medvedev defendeu a instauração de um diálogo "intenso e solidário" com o novo líder da Igreja ortodoxa russa. A esposa do presidente, Sveltana, foi a primeira pessoa a receber a comunhão do patriarca.

Segundo os observadores, Kirill, filho e neto de padres, quer ver a ortodoxia desempenhar um papel mais importante na vida política e social.

Desde a queda do comunismo, a Igreja ortodoxa está crescendo em ritmo acelerado na Rússia, onde preencheu o vazio deixado pelo desabamento da ideologia soviética.

Hoje, 75% da população russa se diz ortodoxa, contra apenas 25% antes da queda da União Soviética.

Kirill, 62 anos, é considerado aberto para o mundo. Segundo os especialistas, ele pode modernizar a comunicação da Igreja na Rússia, mas mantendo um certo tradicionalismo sobre as questões de fundo.

Como "chanceler" do patriarca Alexis II, morto em dezembro, Kirill se encontrou três vezes com o Papa Bento XVI.

neo/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG