Tocha olímpica passa por Mianyang, afetada por terremoto em maio

Redação Central, 4 ago (EFE) - A quatro dias do início dos Jogos Olímpicos de Pequim, a tocha olímpica passou hoje pela cidade chinesa de Mianyang, uma das mais afetadas pelo terremoto de 8,0 graus na escala Richter que atingiu a província de Sichuan em 12 de maio deste ano.

EFE |

Em Mianyang, a tocha foi recebida por milhares de pessoas que cantavam "Nenhuma dificuldade pode dobrar o espírito do povo chinês".

No Estádio de Jiuzhou, que durante semanas foi improvisado como centro de amparo a desabrigados, estudantes e soldados recriaram os trabalhos de resgate do terremoto.

Antes de chegar a Mianyang, a tocha passou hoje pela cidade de Leshan, segunda parada do revezamento na província chinesa de Sichuan.

Em Leshan, Pu Guoqiang, o diretor da escola primária do distrito de Wenchuan, epicentro do terremoto de 8,0 graus na escala Richter, encerrou o revezamento e acendeu a pira olímpica localizada na praça dos visitantes do monte Emei pouco depois das 9h de hoje (22h de domingo de Brasília).

Nascido em Sichuan, Pu perdeu a esposa e a sogra no terremoto, e, mesmo após saber das mortes, continuou a ajudar no resgate das crianças em meio aos escombros de sua escola e nos esforços de recuperação após o tremor, que deixou quase 90 mil mortos e desaparecidos.

O revezamento de hoje contou com a participação de 185 pessoas, que percorreram 8,2 quilômetros pelas ruas de Leshan, conhecida atualmente como "capital chinesa da natação", devido ao grande número de atletas deste esporte que vêm da cidade.

Amanhã, a chama olímpica passa por Chengdu, capital da província de Sichuan, antes de chegar a Pequim, na quarta-feira. EFE ev/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG