Tiroteio na fronteira aumenta tensão entre Camboja e Tailândia

Soldados da Tailândia e do Camboja trocaram tiros em uma região da fronteira entre os dois países e um soldado cambojano morreu. O tiroteio, perto do antigo complexo de templos de Preah Vihear, levou o governo da Tailândia a pedir que seus cidadãos deixem o Camboja.

BBC Brasil |

O Ministério do Exterior tailandês teme represálias aos milhares de cidadãos que vivem e têm negócios no Camboja.

A Força Aérea da Tailândia afirma que está preparando aeronaves de transporte para a retirada dos tailandeses residentes no Camboja.

Os dois lados trocam acusações sobre quem disparou primeiro.

Segundo o correspondente da BBC em Bangcoc, na Tailândia, Jonathan Head, foram disparados tiros e foguetes no incidente.

Autoridades tailandesas disseram que quatro de seus soldados ficaram feridos.

A Tailândia já teria enviado reforços para a fronteira, incluindo tanques.

Ameaças
No começo da semana o primeiro-ministro do Camboja, Hun Sen, ameaçou iniciar uma guerra se os soldados tailandeses não se retirarem da área.

O centro das tensões entre os dois países está em uma pequena faixa de terra - 4,6 quilômetros quadrados - perto do antigo templo hindu de Preah Vihear, que tem 900 anos de idade.

O templo foi destinado ao Camboja em 1962 pela Corte Internacional de Justiça, uma decisão que ainda irrita muitos tailandeses.

O terreno em volta do templo continua sendo disputado por ambos os países. Mas, nos últimos anos, soldados e civis cambojanos chegaram a fundar um vilarejo no local.

O templo é acessível apenas pela Tailândia e a área em volta ainda contém minas terrestres, herança da longa guerra do Camboja contra as guerrilhas do Khmer Vermelho.

Em julho de 2008 a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) determinou que o templo é um Patrimônio Mundial, sob supervisão do Camboja.

Ainda em julho os soldados cambojanos detiveram três manifestantes tailandeses que entraram no local ilegalmente.

Mais de mil soldados dos dois países foram para a região, e abriram trincheiras ao redor do templo.

Em agosto a situação perecia ter se acalmado, após a retirada da maioria dos soldados do local, mas no início de outubro um tiroteio que deixou um soldado cambojano e dois tailandeses feridos reativou as tensões.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG