Tiroteio em reunião de paz no Sudão do Sul deixa dezenas de mortos

Ao menos 21 membros da segurança e três civis foram mortos durante reunião entre funcionários da ONU e autoridades locais

iG São Paulo |

Dezenas foram mortos durante um tiroteio em uma reunião entre autoridades do Sudão do Sul e da Organização das Nações Unidas (ONU) para discutir um fim para a recente violência que atinge o país.

Leia também: Violência entre tribos deixa dezenas de mortos no Sudão do Sul

Reuters
Refugiados sentam sob árvore em Pibor, no Estado de Jonglei, Sudão do Sul (5/1/2012)

Autoridades de três Estados e da ONU se encontraram na remota cidade de Mayendit, no Estado Unidade, em um esforço para atenuar as tensões entre etnias.

Há informações conflitantes sobre os mortos no ataque. O governador do Estado de Lagos, Chol Tong Myay disse à Associated Press que 21 membros da segurança e três civis foram mortos. Mayay acrescentou que uma investigação seria iniciada sobre o caso. Porém, de acordo com a BBC, ao menos 37 foram mortos, a maioria policiais.

Segundo a ONU, o incidente desta sexta-feira ocorreu depois que houve uma briga na reunião. Quatro caminhões chegaram ao local e homens armados abriram fogo indiscriminadamente.

Entre esses homens estavam policiais de diferentes unidades, soldados e guardas de segurança, de acordo com informações da agência AFP. Um membro da missão de paz da ONU no país ficou ferido, mas seu quadro de saúde é estável.

O vice-ministro da Defesa no país, Majak D'Agoot, disse à BBC que o incidente ocorreu após "um problema" entre a polícia do Estado Unidade e a do Estado Warab. "Cada um deles pensou que estava sendo atacado", disse. "Foi um problema em grande parte provocado por falta de comando e controle eficazes."

O Sudão do Sul se separou do Sudão em julho e desde então está lutando para conter a violência interna que assola a região há anos. O encontro foi marcado para discutir sobre um ataque no sábado, que teve como alvo um campo de criação de gado no Estado de Warrap.

Esse atentado deixou 74 mortos, 72 feridos e nove desaparecidos, segundo informou o Alto Comissário de Direitos Humanos da ONU nesta sexta.
O ataque de Warrap foi o último de uma série que ocorre desde dezembro. As Nações Unidas afirmam que cerca de 120 mil foram afetados somente no Estado de Jonglei.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: sudão do sulviolênciaetniaonureunião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG