Tiroteio deixa pelo menos 18 mortos no México

Um confronto de duas horas em uma das cidades turísticas mais populares do México, Acapulco, deixou pelo menos 16 atiradores e dois soldados mortos na noite de sábado. Outros soldados e pelo menos três civis que estavam no local, que é o bairro onde ficam os hotéis mais populares da cidade, ficaram feridos.

BBC Brasil |

Vários turistas foram retirados dos hotéis da região.

A batalha começou quando soldados do Exército mexicano receberam uma denúncia anônima de que atiradores, que teriam ligação com o tráfico de drogas, tinham ocupado uma casa no bairro.

O Exército informou que quando seus soldados se aproximaram da grande casa no centro de Acapulco, os atiradores abriram fogo.

Segundo o correspondente da BBC na Cidade do México Stephen Gibbs, os atiradores estavam armados com rifles e granadas. Eles atiraram cerca de 50 granadas contra os soldados.

Mais atiradores
Durante a batalha de duas horas mais homens armados chegaram ao local de carro, aparentemente como uma forma de reforço para os que estavam dentro da casa. Estes homens foram mortos pelos soldados.

Depois da do tiroteio, o Exército mexicano informou que descobriu quatro policiais na casa onde estavam os atiradores, aparentemente mantidos como reféns.

Um vídeo divulgado pelo Ministério da Defesa mostra os quatro algemados deitados com o rosto virado para o chão. Os quatro são policiais locais.

De acordo com Stephen Gibbs, o Exército informou que está investigando as alegações dos quatro, sugerindo que há suspeitas de que eles estariam cooperando com o grupo.

Em 2006 o presidente mexicano Felipe Calderon lançou uma campanha militar contra os cartéis de tráfico de drogas do país.

Desde então, dezenas de milhares de soldados foram enviados a todo o país para enfrentar a violência relacionada ao tráfico. Cerca de 9 mil pessoas morreram devido à esta violência nos últimos dois anos.

Acapulco, por sua vez, já foi palco de confrontos entre grupos rivais do tráfico, mas se mantinha relativamente livre da violência nos últimos anos, segundo correspondentes.

O correspondente da BBC na Cidade do México, Stephen Gibbs, afirma que o confronto da noite de sábado será muito prejudicial para a cidade, que já teve sua indústria turística prejudicada recentemente pela epidemia de gripe suína.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG