Tiros atingem comboio de premiê paquistanês

Por Augustine Anthony ISLAMABAD (Reuters) - Atiradores do Taliban dispararam contra o comboio do primeiro-ministro do Paquistão, Yousaf Raza Gilani, na quarta-feira, perto do aeroporto de Islamabad, mas autoridades e a polícia disseram que o dirigente não se encontrava em nenhum dos veículos naquele momento.

Reuters |

O ataque deve fazer aumentar os temores de investidores e de aliados do governo paquistanês, que já estavam preocupados com a crônica instabilidade política e com a atividade de militantes islâmicos nesse país, detentor de um arsenal nuclear.

Rao Mohammad Iqbal, uma importante autoridade da polícia, disse que o comboio encaminhava-se para o aeroporto a fim de apanhar Gilani quando foi atacado.

'Os veículos dirigiam-se para o aeroporto quando houve os disparos, vindos de um pequeno morro. Duas balas atingiram a janela do motorista', afirmou Iqbal.

Pouco antes, o porta-voz do premiê, Zahid Bashir, tinha dito que os tiros miraram o comboio de Gilani, mas que o dirigente não havia ficado ferido.

'Vários disparos foram realizados contra o comboio do premiê. O premiê está em segurança, graças a Deus', disse Bashir.

O gabinete de Gilani confirmou OS disparos por franco-atiradores. Canais de TV mostraram uma janela à prova de balas com duas marcas de disparos.

O premiê é um membro importante do partido da ex-primeira-ministra assassinada Benazir Bhutto. Bhutto foi morta em um ataque suicida realizado com armas de fogo e explosivos no dia 27 de dezembro enquanto fazia campanha para as eleições gerais.

O governo disse que militantes ligados à Al Qaeda haviam matado a ex-primeira-ministra.

O partido de Bhutto venceu o pleito de 18 de fevereiro e Gilani tornou-se premiê em um governo de coalizão.

TALIBAN REIVINDICA AUTORIA

Um porta-voz do Taliban paquistanês assumiu a responsabilidade pela ação afirmando que Gilani era o responsável por ofensivas contra militantes ocorridas recentemente no noroeste do país.

'Continuaremos a realizar tais ataques contra autoridades e instalações do governo', afirmou Muslim Khan, o porta-voz.

O Taliban paquistanês e a Al Qaeda, aliada daquele grupo, lançaram uma onda de atentados a bomba no último ano, incluindo líderes políticos. Centenas de pessoas foram mortas nas ações.

O ex-presidente Pervez Musharraf, que renunciou no mês passado, quase morreu em dois ataques com bomba atribuídos à Al Qaeda.

Temendo por sua vida, o viúvo de Bhutto, Asif Ali Zardari, que hoje lidera o partido da ex-primeira-ministra e que deve vencer as eleições presidenciais de sábado, mudou-se na semana passada de sua casa em Islamabad para a residência do premiê, que

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG