Sydney (Austrália), 16 out (EFE).- Timor-Leste é a nação mais afetada pela crise alimentícia na Ásia Oriental e no Pacífico Sul, informou hoje a organização humanitária Oxfam na Austrália.

O último relatório da ONG aponta que o número de crianças menores de cinco anos que sofrem desnutrição crônica no país oscila entre 50% e 59%.

Além disso, mais de 70% das famílias enfrentam a cada dia à incerteza de se conseguirão comida para o dia.

O diretor da Oxfam Austrália, Andrew Hewett, explicou em comunicado que "os preços do arroz, que é um alimento de primeira necessidade, duplicaram desde 2006, e quase 50% do grão é importado".

"A estação da fome aumentou. Cresceu desde uma média de dois meses ao ano para cinco em algumas partes do país", acrescenta o comunicado.

A organização humanitária aponta que a situação não afeta unicamente o Timor-Leste, e que é similar em outros países da área como o Camboja, onde cerca de 2,6 milhões de pessoas são afetadas pela crise alimentícia.

O relatório, divulgado hoje por causa do Dia Mundial da Alimentação, foi preparado com o apoio do Programa para a Segurança Alimentar da União Europea, do Fundo Cristão para as crianças, do Concern Worldwide e do CARE Internacional.

Entre as soluções colocadas pelo diretor da Oxfam Austrália ele destacou o envio de emergência de alimentos para atenuar a crise de fome a curto prazo, e o início de investimentos agrícolas a longo prazo.

Após quatro séculos de colonização portuguesa e 24 anos de invasão indonésia, o Timor-Leste proclamou sua independência no dia 20 de maio de 2002, e ingressou na comunidade internacional como uma das nações mais pobres do mundo. EFE mg/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.