Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Tijuana registra mais 13 mortes em onda de violência do crime organizado

(Atualiza número de mortos após primeira divulgação conjunta) Tijuana (México), 26 abr (EFE).- A onda de violência causada pelo crime organizado no México gerou hoje mais 13 vítimas mortais em Tijuana, cidade na fronteira com os Estados Unidos, agravando uma situação que no decorrer de 2008 deixou mais de 1.

EFE |

000 mortos.

Os primeiros dados oficiais das autoridades municipais de Tijuana e estaduais da Baixa Califórnia apontam que as vítimas são em sua maioria supostos assassinos, e que outras cinco pessoas ficaram feridas. Os primeiros dados preliminares haviam mencionado 15 mortos.

O procurador de Justiça do estado, Rommel Moreno Manjarrez; o titular de Segurança Pública do estado, Daniel de la Rosa Anaya, e o comandante da Polícia municipal, tenente Julián Leyzaola, informaram que os feridos e outras três pessoas foram detidas.

Embora tenham informado horas antes que o número de mortos eram 15, as fontes estaduais evitaram confirmar se havia mais vítimas mortais possivelmente retiradas da zona por outros membros dos grupos.

"Há muita especulação, muita informação preliminar, não se pode confirmar (isso)", indicou o promotor Moreno Manjarrez.

O titular de Segurança Pública de Tijuana, Jesús Alberto Capella, atribuiu os ataques às disputas internas entre as organizações criminosas na localidade, vizinha à cidade americana de San Diego, na Califórnia.

O primeiro dos choques aconteceu no leste da cidade, por volta das 02h50 no horário local (06h50 de Brasília), quando dois grupos de indivíduos, aparentemente vinculados ao cartel dos irmãos Arellano Félix, se enfrentaram, e posteriormente ocorreram outros combates, segundo as primeiras divulgações.

As ações continuaram em outras áreas de Tijuana, em um centro comercial conhecido como "Macro Plaza" e também contra duas clínicas em diferentes pontos da cidade.

Por enquanto, a identidade dos mortos e feridos é desconhecida, mas já se cogita pertencerem ao crime organizado.

Os enfrentamentos de hoje foram um dos mais graves dos últimos meses no México, onde este ano a onda de violência causou a morte de 1.020 pessoas, segundo dados extra-oficiais publicadas hoje no jornal "El Universal". EFE dec-act/bm/fb

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG