Nova Délhi, 17 abr (EFE).- Cerca de cinco mil tibetanos iniciaram hoje um percurso paralelo ao da tocha olímpica por Nova Délhi, onde foram desdobrados mais de 15 mil policiais para o revezamento oficial, informou a agência indiana Ians.

Usando camisas amarelas com mensagens em defesa da liberdade do Tibete e gritando palavras de ordem contra a China, os manifestantes se reuniram no parque Rajghat, onde realizaram uma cerimônia de oração antes de se dirigir em direção ao centro da cidade.

A segurança os impediu acender sua tocha de protesto no interior do parque, onde repousam os restos de "Mahatma" Gandhi, mas os manifestantes conseguiram acendê-la do lado de fora.

Está previsto que o protesto termine pouco antes de a tocha olímpica percorrer oficialmente Nova Délhi, aonde chegou à 1h10 (16h40 de quarta-feira de Brasília), a bordo de um avião especial procedente do Paquistão.

Desde o primeiro momento foram registrados protestos de tibetanos contra a atuação da China no Tibete.

As autoridades indianas asseguraram que a tocha será mantida em um local seguro e "não revelado" até o começo do revezamento, com vistas a prevenir incidentes como os que ocorreram em Paris, Londres e San Francisco.

Vivem na Índia cerca de 130 mil refugiados tibetanos e seu líder espiritual, o dalai lama.

Na madrugada de hoje, aproximadamente 40 tibetanos foram detidos em Nova Délhi após um protesto contra a China na chegada da tocha.

EFE daa/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.