Tibetanos exilados fazem greve de fome de um dia no sul da Índia

Nova Délhi, 7 abr (EFE).- Mais de cem tibetanos exilados, metade deles mulheres, fizeram hoje um dia de jejum no sul da Índia para pedir à ONU que desperte e aja contra o que consideram uma violação dos direitos humanos no Tibete, informou a agência PTI.

EFE |

Segundo a Polícia, 112 tibetanos iniciaram uma greve de fome de um dia na cidade de Udhagamandalam, na região indiana de Tamil Nadu (sul).

Os participantes levavam cartazes nos quais podiam ser lidas mensagens como "Salve o Tibete" e "Liberte o Tibete da China".

Dez manifestantes também rasparam a cabeça para protestarem contra as medidas repressoras empreendidas pelas autoridades chinesas nos atos das últimas semanas.

Depois, os jovens escreveram mensagens na cabeça pedindo a atuação da ONU.

Cerca de 450 membros da Associação de Proteção aos Tibetanos Exilados enviaram cartas por fax ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pedindo a intervenção dele.

O mercado municipal tibetano permanecerá fechado por 15 dias em sinal de protesto.

Desde o dia 10 de março, monges budistas apoiados pela população civil têm protagonizado protestos para lembrar o aniversário da fracassada rebelião de 1959 no Tibete e em outros locais, como Índia e Nepal.

Calcula-se que a Índia abrigue cerca de 130 mil refugiados tibetanos que abandonaram seus lares após esta revolta, que forçou o exílio do dalai lama.

O Governo tibetano no exílio e seu líder espiritual ficam na cidade indiana de Dharamsala (norte), bem próximo ao Himalaia. EFE ss/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG