"The New York Times" e "Los Angeles Times" ganham dois Pulitzer

Premiação é concedida pela Universidade de Columbia para os principais destaques do jornalismo norte-americano

AFP |

Os jornais "The New York Times" e "Los Angeles Times" lideraram, com dois prêmios cada um, os prêmios Pulizter de jornalismo anunciados nesta segunda-feira na Universidade Columbia de Nova York. O "New York Times" recebeu os prêmios nas categorias Comentário e Reportagem Internacional, enquanto que o diário "Los Angeles" recebeu o disputado prêmio de Serviço Público e outro em Fotografia de Reportagem. Veja abaixo algumas fotografias premiadas neste ano:

A revelação de casos de corrupção na pequena cidade californiana de Bell valeu o prêmio ao "Los Angeles Times", assim como o trabalho de sua fotógrafa Barbara Davidson.

Os comentários sobre Economia de David Leonhardt, incluindo o debate sobre o orçamento, valeram um dos dois prêmios do "New York Times". O outro recompensou as matérias de Clifford Levy e Ellen Barry sobre o sistema judiciário na Rússia.

A edição 2011 do maior prêmio do jornalismo dos Estados Unidos foi caracterizada por uma premiação mais variada, para diferentes veículos.

Este ano não houve a entrega do Pulizter para "Breaking News". Em Fotografias de "Breaking News", três fotógráfos do Washington Post (galeria acima) dividiram o prêmio por sua cobertura do terremoto no Haiti.

O prêmio para Jornalismo Investigativo foi para um trabalho de Paige St John, do Sarasotra Herlad Tribune, sobre o sistema de seguros de habitação na Flórida.

A Reportagem Analítica premiada neste ano foi a elaborada por Mark Johnson, Kathleen Gallagher, Gary Porter, Lou Saldivar e Alison Sherwood, do diário "Milwaukee Journal Sentinel". Segundo o júri, os jornalistas fizeram um "lúcido exame - com gráficos, vídeos e imagens - de um esforço épico para usar tecnologia genética para salvar uma criança de quatro anos com uma doença misteriosa".

Frank Main, Mark Konkol e John J. Kim, todos do "Chicago Sun-Times", receberam o prêmio para melhor Reportagem Local por sua "imersão na violência nos bairros de Chicago", pela profundidade da apuração sobre a vida das vítimas, dos criminosos e dos detetives e por mostrar que uma "lei generalizada do silêncio impede conseguir soluções".

A Reportagem Nacional agraciada é a realizada por Jesse Eisinger e Jake Bernstein para a redação "ProPublica", pela exposição de práticas questionáveis no mercado financeiro de Wall Street, que contribuíram para o desastre econômico do país em 2007-2008.

Amy Nutt Ellis, do "The Star-Ledger", recebeu o prêmio de Escrita Jornalística por um artigo sobre o misterioso afundamento de um navio de pesca comercial no Oceano Atlântico, no qual seis homens se afogaram.

O prêmio Crítica foi para Sebastian Smee, do "The Boston Globe", por sua "vívida e exuberante forma de escrever sobre arte", ao passo que Joseph Rago, do "The Wall Street Journal", recebeu o prêmio de Escrita Editorial pelo trabalho sobre a reforma do sistema de saúde impulsionada pelo presidente Barack Obama.

Mike Keefe, do "The Denver Post", foi agraciado na categoria Cartum. Já Carol Guzy, Nikki Kahn e Ricky Carioti, do "The Washington Post", receberam o Pulitzer de melhor Fotografia em Cobertura Especial.

O Pulizter também é concedido anualmente para obras literárias. Este ano, "A visit from the Goon Squad", obra de Jennifer Egan, que narra as dificuldades de envelhecer na era digital, foi o premiado na categoria ficção.

* Com informações da EFE

    Leia tudo sobre: EUAPRÊMIOPulitzer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG