Lisboa, 24 jun (EFE).- Vários textos inéditos do poeta português Fernando Pessoa (1888-1935) foram reunidos em uma coleção, que foi apresentada hoje em Lisboa por seu organizador, o colombiano Jerónimo Pizarro.

Com o título "Fernando Pessoa: o guardador de papéis", Pizarro, junto com um grupo de estudiosos do autor, reuniu escritos nunca antes divulgados ou muito pouco conhecidos, entre os quais destaca-se um sobre o encontro entre o literato luso e o ocultista inglês Aleister Crowley (1875-1947).

"Chegamos a cada documento de maneiras diferentes. Unimos o que fisicamente estava disperso", disse o investigador colombiano, considerado um dos maiores especialista na obra de Pessoa, à Agência Efe.

Entre os documentos mais valiosos, o organizador do livro destacou também uma dissertação do poeta sobre o fenômeno religioso do santuário luso de Fátima, onde milhares de católicos se reúnem desde o início do século XX, para celebrar as aparições de Nossa Senhora.

Pessoa, uma das figuras mais destacadas da literatura portuguesa, tem uma extensa obra que foi motivo de várias polêmicas, entre elas o leilão de seus documentos, realizado em novembro em Lisboa e na qual herdeiros e o Estado pediram os direitos sob suas obras.

Para o colombiano, "Pessoa representa um universo plural. Tem tamanha variedade de estilos que é difícil se cansar de suas obras", afirmou e se lamentou que, apesar de haver escrito em português, francês e inglês, seus trabalhos ficaram famosos tarde, fora de Portugal.

O fato de escrever em três línguas, segundo Pizarro, faz de Pessoa, o único escritor a "desafiar" a literatura nacional.

O poeta, que dominava o inglês por ter passado boa parte de sua juventude na África do Sul, onde seu padrasto foi diplomata, escreveu grande parte de suas obras assinando com pseudônimos diferentes.

Entres suas obras, publicou o livro de poemas "Mensagem" (1934) e o romance "O Livro do Desassossego", o mais popular e reconhecido, que ficou famoso anos depois de seu falecimento, no dia 30 de novembro de 1935. EFE atc/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.