"Há incêndios no oeste, no leste, no norte e no sul do Texas, há fogos por todo o estado", disse o porta-voz do serviço florestal

Os bombeiros continuam nesta quarta-feira o combate aos incêndios que arrasaram mais de 405 mil hectares do Texas em uma semana, à espera de chuvas previstas pelo serviço meteorológico. "O Texas arde de fronteira a fronteira", disse à rádio de "CNN", April Saginor, porta-voz do Serviço Florestal texano, que acrescentou que "há incêndios no oeste, no leste, no norte e no sul do Texas, há fogos por todo o estado".

Fogo fora de controle em área florestal no Texas
Reuters
Fogo fora de controle em área florestal no Texas
Neste momento, bombeiros procedentes de 34 estados se concentram no Texas para combater as chamas. Nas últimas duas semanas o fogo destruiu mais de 170 casas e danificado outras centenas.

April indicou que na região de Dallas há um grande incêndio que é resultado da combinação de outros quatro iniciados na semana passada.

A porta-voz acrescentou que as condições melhoraram em torno do Lago Possum Kingdom onde os quatro fogos já tinham arrasado 59,5 mil hectares e tinham danificado 140 residências.

Na terça-feira, a equipe de emergência respondeu a 10 novos alarmes de fogo em mil hectares, enquanto os incêndios forçaram a evacuação de três localidades e causaram danos generalizados em vários condados ao oeste da área metropolitana de Dallas e Forth Worth.

As autoridades esperam nesta quarta-feira uma trégua do tempo seco e dos fortes ventos que contribuíram para a propagação dos incêndios florestais, mas se informou de mais focos de fogo nos condados Stephens e Garza, no norte do Estado.

A previsão de chuvas que espera no norte do estado não se estende a todo o Texas: nas montanhas Guadalupe, segundo o Serviço Meteorológico Nacional, as condições seguirão sendo propicias para mais incêndios até na quinta-feira.

O Serviço Florestal do Texas indicou que desde 1º de janeiro atenderam mais de 800 incêndios que danificaram 5 mil estruturas em uma superfície de 566.700 hectares.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.