Testemunha diz que vida de jornalista russa custou US$ 2 milhões

Moscou, 5 dez (EFE).- Um das testemunhas no julgamento pelo assassinato da jornalista Anna Politkosvkaya declarou hoje no Tribunal Militar da região de Moscou que US$ 2 milhões foram pagos por sua morte.

EFE |

"A testemunha interrogada hoje declarou ter se inteirado pelo grupo de instrução que pelo assassinato de Politkovskaya se pagaram US$ 2 milhões", precisou um dos participantes do processo, citado pela agência "Interfax".

Durante a sessão, que asssim como ontem se fez a portas fechadas, foram interrogados Lom-Ali Gaitukayev, tio do acusado Rustam Majmudov -que está foragido-, e de dois de seus irmãos, no banco dos réus como supostos cúmplices do crime.

O acesso da imprensa à sala também ficou proibido hoje, já que Gaitukayev, condenado a 12 anos de prisão pelo assassinato de um empresário ucraniano, poderia oferecer informações consideradas segredo de Estado, indicaram representantes da Procuradoria Geral.

Posteriormente foi interrogado Serguei Sokolov, redator-chefe da revista quinzenal "Novaya Gazeta", onde Politkovskaya trabalhava.

A Procuradoria solicitou na véspera realizar a sessão a portas fechadas, já que se iria estudar material considerado segredo de Estado.

A acusação pública lembrou que apesar de o tribunal estabelecer a realização do julgamento de forma pública, determinou-se que o acesso da imprensa seria restringido quando se tratasse de material secreto.

Politkovskaya foi assassinada em Moscou em outubro de 2006, quando preparava uma matéria sobre torturas sistemáticas na Chechênia, que foi publicado por seus companheiros cinco dias após sua morte.

Politkovskaya, que nasceu em Nova York em 1958, tinha cidadania russa e americana. EFE egw/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG