Teste nuclear norte-coreano ameaça a paz, diz Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, condenou nesta segunda-feira o teste nuclear subterrâneo realizado pela Coreia do Norte. Estas ações, embora não sejam surpresa dadas as declarações e ações até esta data, são uma questão de grande preocupação para todas as nações, afirmou o presidente em nota oficial emitida em Washington.

BBC Brasil |

"Tentativas da Coreia do Norte de desenvolver armas nucleares, assim como seu programa de mísseis balísticos, constituem uma ameaça à paz e à segurança internacional. O perigo apresentado pelas atividades ameaçadoras da Coreia do Norte exigem ação da comunidade internacional", afirmou o presidente.

A Grã-Bretanha também manifestou preocupação com o teste nuclear realizado pela Coreia do Norte.

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, condenou a ação norte-coreana e disse que ela "vai minar a possibilidade de paz na península coreana e não ajudará a segurança da Coreia do Norte".

"A comunidade internacional vai tratar a Coreia do Norte como um parceiro se ela se comportar de maneira responsável. Se não fizer isto, pode esperar apenas contínuo isolamento", disse Brown.


Sul-coreanos protestam contra teste nuclear da Coreia do Norte / AP

Um porta-voz do presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, disse que o teste é um "sério desafio" para os esforços internacionais para a não-proliferação nuclear. O Japão considerou a ação norte-coreana "inaceitável".

A Rússia, que ocupa a presidência rotativa do Conselho de Segurança das Nações Unidas, está preparando uma sessão de emergência para discutir o tema.

Conselho de Segurança

O porta-voz do Ministério do Exterior do Japão, Kazuo Kodama, disse que seu país vai responder "de maneira responsável" nas Nações Unidas, mas não deu maiores detalhes.

Diplomatas preparam uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas ainda nesta segunda-feira. A União Europeia qualificou o teste como "muito preocupante".

A Coreia do Sul considerou o teste uma provocação . O mercado de ações do país registrou uma queda de 4%, refletindo temores de um aumento de tensões na região.

Conversações

A Coreia do Norte não deu detalhes da localização do teste nuclear, mas representantes da Coreia do Sul disseram que o abalo sísmico foi detectado na região nordeste, perto da cidade de Kilju, onde os norte-coreanos realizaram o primeiro teste nuclear.

No mês passado, Pyongyang retirou-se da conversação multilateral (envolvendo Estados Unidos, China, Japão, Rússia e as duas Coreias) sobre seu programa nuclear, em protesto contra a condenação internacional do lançamento de um foguete no dia 5 de abril.

O governo norte-coreano disse que o foguete transportava um satélite, mas vários países acreditam que se tratou de um acobertamento para o teste de um míssil.

As conversações multilaterais emperraram porque a Coreia do Norte não confirmou o fechamento da usina nuclear de Yongbyon.

A Coreia do Norte concordou em desmantelar a usina como parte de um acordo que previa a concessão de ajuda internacional e, em resposta, os Estados Unidos retiraram a Coreia do Norte de sua lista de terrorismo.

Segundo o correspondente da BBC em Seul, John Sudworth, a Coreia do Norte acredita agora que não tem obrigação de cumprir acordos bilaterais prévios com os Estados Unidos e acordos previstos nas conversações multilaterais.

Leia mais sobre: Coreia do Norte

    Leia tudo sobre: coréia do nortecoréia do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG