pouco maior que em 2006--grupo - Mundo - iG" /

Teste da Coreia do Norte foi pouco maior que em 2006--grupo

Por Sylvia Westall VIENA (Reuters) - O teste nuclear anunciado pela Coreia do Norte na segunda-feira foi ligeiramente maior que o executado por Pyongyang em 2006, informou a organização do tratado de proibição de testes nucleares, com sede em Viena, contrariando notícias de uma explosão maior.

Reuters |

A agência russa Itar-Tass citou uma fonte do Ministério de Defesa da Rússia, dizendo que o teste teve a potência de cerca de 20 quilotons, em comparação com a potência amplamente aceita de cerca de um quiloton em 2006.

Um quiloton equivale a mil toneladas de TNT.

"A magnitude do evento é ligeiramente maior do que a de 2006, medindo 4,52 na escala Richter, enquanto que em 2006 foi de 4,1", disse em um comunicado a Organização do Tratado de Proibição Total dos Testes Nucleares (CTBTO).

O tremor ocorreu pouco abaixo da superfície, "a alguns quilômetros" do teste anterior e tem alcance estimado de "um único dígito" de quiloton, disse a CTBTO.

"Esse é o passo errado na direção errada", disse o secretário-executivo da CTBTO, Tibor Toth, a jornalistas.

A CTBTO, o organismo mundial independente para o monitoramento de possíveis infrações à proibição de testes, reúne dados de 39 estações sísmicas ao redor do mundo e aguarda detalhamento sobre possíveis partículas radioativas e gases nobres.

Estações novas perto da Coreia do Norte na China, no Japão e na Rússia ajudaram a acelerar as leituras e torná-las mais precisas, disse a CTBTO.

Em um comunicado divulgado mais cedo na segunda-feira, Toth dissera que o teste era "uma grave violação da norma estabelecida pelo Tratado de Proibição Total de Testes Nucleares (CTBT) e merece condenação universal".

O CTBT é um tratado global que proíbe todas as explosões nucleares. O pacto não pode entrar em vigor antes de ser ratificado por todos os 44 países que participaram das negociações de 1996 e têm força nuclear ou reatores de pesquisa.

Dos cinco países com armas nucleares, EUA e China ainda têm de ratificá-lo.

A CTBTO disse que suas descobertas iniciais na Coreia do Norte são precisas o suficiente para solicitar uma inspeção local sob as regras do tratado. A medida poderá se tornar automática quando o pacto entrar em vigor.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG