Terroristas são condenados à morte por atentado no metrô de Minsk

Ataque ao metrô da Bielorrússia deixou pelo menos 15 mortos e mais de 200 feridos em abril desse ano

iG São Paulo |

A Suprema Corte de Bielorrússia condenou à morte nesta quarta-feira os dois autores do atentado terrorista com bomba realizado em abril ao metrô de Minsk que deixou 15 mortos e mais de 200 feridos.

Leia também: Explosão em metrô de Minsk deixa mortos e feridos

AP
Dmitri Konoválov (esq.) e Vladislav Kovalev permanecem em gaiolas durante sessão da corte em Minsk, Bielorrússia

Os investigadores afirmam que os dois condenados, Dmitri Konoválov e Vladislav Kovalev, não pertenciam a nenhum grupo terrorista e foram levados por "ódio pela humanidade" e não por motivos políticos.

Segundo o magistrado e vice-presidente do Tribunal Supremo bielorrusso, Aleksandr Fedortsov, os dois "representam um grande perigo para a sociedade e é preciso aplicar a pena capital".

Tanto Konoválov, considerado o autor material do atentado, como seu cúmplice, Kovalev, serão fuzilados, o método de aplicação da pena de morte utilizado tradicionalmente na Belarrússia.

Ao ditar a pena, o juiz disse que levou em conta o caráter sistemático dos crimes cometidos por Konoválov. Sobre Kovalev, o magistrado explicou que ele forneceu os explosivos a Konoválov e o ajudou na fabricação de bombas cada vez mais potentes.

A explosão no metrô de Minsk aconteceu em hora de grande movimento na estação de "Oktyabrskaya", não longe da residência do presidente bielorrusso, Aleksandr Lukashenko.

A KGB bielorrussa deteve os autores quase 24 horas após o atentado, cujo julgamento começou em 15 de setembro. A Bielorrússia é o único país europeu que ainda aplica a pena de morte, motivo pelo qual nunca foi membro do Conselho da Europa.

Os condenados também foram acusados por três outros ataques em 2005 e 2008 que não deixaram mortos.

Com EFE e AP

    Leia tudo sobre: minskbielorrússiametrôataque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG